De repente, adulto: como lidar com as responsabilidades?

Contas a pagar e decisões a tomar podem gerar ansiedades e fazer você cair em erros como se exceder em bebidas alcoólicas. Veja nossas dicas encarar isso de “ser adulto” sem entrar em armadilhas.

Em um dia você só pensava na roupa que vestiria na próxima festa ou no roteiro das férias, no outro tem que abrir mão da festa ou da viagem para pagar boletos que, até então, você nem sabia que existiam. De repente, adulto. Você que, durante tanto tempo cobiçou chegar a essa fase pela liberdade que ela engloba, começa a se sentir pressionado com as responsabilidades. E aí? O que fazer para aproveitar o que o amadurecimento tem de bom sem sofrer demais com as ansiedades ou se exceder, por exemplo, com as bebidas alcoólicas?

Ao contrário do que costumamos pensar quando crianças e adolescentes, se tornar adulto não acontece de forma brusca ao se completar 18 anos de idade. É um processo gradual e o amadurecimento dura toda a vida. O problema é que, mesmo que emocional ou financeiramente essa passagem seja lenta, às vezes as cobranças começam do dia para a noite. É o caso de quando alguma alteração em casa, com o pai ou a mãe perdendo o emprego, por exemplo, passam a exigir que você se responsabilize por alguns dos custos da família que, até então, não eram sua preocupação.

Nesses casos, em que alguém que lentamente caminha para a fase adulta é confrontado com responsabilidades imediatas, é preciso ter cuidado para não deixar a ansiedade tomar conta. Como? Não é tão difícil quanto parece, veja as nossas dicas.

A corda é mesmo bamba

Agora que seu dinheiro passou a ser importante para o sustento da família, se abateu sobre você o receio de perder o emprego ou de que algum imprevisto exija mais recursos do que você tem disponível. Bom, a primeira lição da vida adulta é essa: você anda sempre na corda bamba. Há inevitavelmente riscos na sua caminhada e, por isso, é importante, sempre que possível, manter-se precavido.

Isso significa tanto cuidar bem da sua saúde quanto guardar parte do seu salário mensalmente. Claro que nem sempre isso é possível, mas o importante é olhar para a sua situação, compreendê-la e planejar seus próximos passos. Assim, se o dinheiro está no limite, faça uma planilha, entenda onde há gastos que podem ser cortados e o faça. Reveja seus hábitos diários e encaixe na rotina uma caminhada para o trabalho, por exemplo – vença o sedentarismo, alimente-se melhor e, dessa forma, mantenha sua disposição para enfrentar os desafios adultos.

A chave, portanto, é planejamento. Talvez essa seja a maior diferença entre uma vida adolescente e de um adulto: na primeira, só o hoje importa, na segunda, o amanhã ajuda a tomar decisões no agora. O desafio é evitar que isso se transforme em ansiedades que podem te prejudicar sua saúde e sua vida. É por isso que planejar-se é tão importante – e nós já te demos aqui outras dicas para não ser tomado pela ansiedade.

Cresça e apareça

Sim, o amadurecimento é um processo gradual e ninguém chega ao fim da linha. Aquela aura de seriedade que, quando adolescentes, observamos nos adultos, é meramente aparência. Pessoas crescidas também gostam de se encontrar com os amigos apenas para ouvir e contar piadas. Elas adoram passar um tempo sem fazer nada e não é à toa que existem vários parques temáticos com montanhas russas para adultos ou desenhos animados voltados para eles. Então, não se preocupe: você pode continuar os seus hobbies. Mas vai precisar aprender a hora de ser (e parecer) mais sério.

Assim, seu ambiente de trabalho pode demandar um tipo de roupa diferente daquele que você gosta de usar no dia a dia e que você, tão orgulhosamente, ostenta como seu estilo. Se você escolher não preencher essa expectativa, ok, porém isso pode ter consequências – seja uma demissão ou um adiamento em alguma promoção, por exemplo. A dica é simples: observe. Veja como seus colegas se vestem e se comportam.

Isso inclui a linguagem – talvez você precise abrir mão das gírias em algumas conversas. Inclui também os brindes nos encontros com alguns grupos – é preciso muito cuidado para não exagerar nas bebidas alcoólicas nesses momentos com colegas de trabalho. Lembre-se: excessos nas doses não ajudam a combater a ansiedade.

Em resumo: observe e aprenda com quem está ao seu redor, entenda sua situação e se planeje. E, claro, lembre-se de que você continua a mesma pessoa e não há nada de mal em manter seus hobbies, seus amigos e seu estilo.

Fontes: com informações dos portais Uol Mulher e Administradores.com

Posts Relacionados

Inscreva-se