Qual a relação entre aumento da circunferência da cintura e ansiedade?

Pela primeira vez, uma pesquisa atribuiu o excesso de gordura abdominal a transtornos de ansiedade; entenda o estudo e confira algumas dicas que podem ajudar a combater o problema e afinar a cintura

Fim de tarde, domingo terminando, semana atribulada pela frente. São tantas tarefas que será necessário madrugar diariamente pra dar conta de tudo. Só de pensar nisso você ficou mal-humorada, mais nervosa e nem curtiu o resto do fim de semana. Quem nunca viveu uma situação parecida? Ter momentos de ansiedade em algumas situações é compreensível, o problema é se essa sensação ruim ocorre com muita frequência, transformando-se em preocupação excessiva.

As causas desse transtorno, conhecido como ansiedade generalizada, estão relacionadas a diversas situações: aumento de responsabilidades, pressão por resultados ou auto cobrança exagerada. Mas, pela primeira vez, cientistas ligaram o problema ao excesso de gordura abdominal. Apesar da pesquisa não ser conclusiva (foi segmentada com voluntárias na faixa dos 49 anos de idade) os médicos alertam que mulheres com muita gordura na região do abdômen podem ter mais chances de desenvolver transtornos de ansiedade.

Publicado no periódico científico Menopause, o estudo analisou o índice RCE (Relação Cintura Estatura) das participantes. Aquelas com circunferência abdominal medindo a metade ou mais da metade da estatura são mais propensas serem ansiosas. Ou seja, se você tem 1m60cm e sua cintura passa de 80cm, é bom ficar atenta. Segundo os cientistas, como o problema pode estar ligado a questões hormonais, a orientação é recorrer a um especialista e avaliar o melhor tratamento.

Por outro lado, mudanças no estilo de vida também são necessárias, como indica o estudo. Listamos as principais recomendações para ajudar a manter seu corpo e mente mais saudáveis.

Praticar exercícios aeróbicos com frequência

Atividades de longa duração que demandam mais energia do corpo como caminhada, natação ou bicicleta são indicados. Mas é importante ficar atento às reações do seu corpo. Pratique a modalidade que te trouxer mais sensação de bem-estar.

Exercite sua atenção plena

A ideia é focar no que você está fazendo no momento – lendo, comendo ou caminhando. Esse método, que combate o “piloto automático” e a desconcentração, ajuda até a pessoa comer menos. Quando há atenção total à alimentação, por exemplo, a sensação de saciedade é maior.

Evite o açúcar e foque nas fibras

Trocar alimentos açucarados e compostos de farinha branca por aqueles ricos em fibras melhora o funcionamento do intestino, aumenta o bom humor e ajuda a derreter o excesso de gordura abdominal. Invista em dietas com uma média de 70% de frutas, legumes, hortaliças, carnes magras e integrais, comidas que são extremamente eficazes para combater problemas de ansiedade e a barriguinha saliente.

Escolha momentos do dia para acessar as redes sociais

Checar o tempo todo as notificações do Instagram, Whatsapp ou Facebook pode aumentar os sintomas de ansiedade, a comparação social e ainda atrapalhar sua autoestima e concentração. Separe alguns intervalos ao longo do dia para fazer isso.

Lembrando que as recomendações acima não reduzem a necessidade de procurar um especialista, ok?

Fonte: portais Drauzio Varella e O Globo.

Posts Relacionados

Inscreva-se