Autoconhecimento é essencial para você se organizar melhor

Quer eliminar hábitos nocivos como os excessos? Comece pelo autoconhecimento.

O que não falta na internet são receitas que prometem fazer o seu dia render mais. Para se ter uma ideia, a busca no Google com a expressão “dicas para uma vida organizada” gera quase 10 milhões de resultados. Diante de tanta informação e, obviamente, sem tempo para testar cada uma delas, você se questiona: o que pode funcionar de verdade? E a resposta não é tão simples: depende do seu perfil e do seu nível de autoconhecimento.

De acordo o professor Leandro Karnal, em palestra recente sobre disciplina, mais importante que copiar um método de organização que está bombando é entender o que dá certo para você. Ou seja, o primeiro passo para ter uma vida mais disciplinada é investir em saber, a fundo, suas capacidades e limitações. É essencial entender seu ritmo, qual o melhor momento do dia para produzir com eficácia ou quanto tempo você precisa para descansar.

E como autoconhecimento não é um papo tão descomplicado (principalmente quando envolve objetivos, disciplina e mudança de hábitos), este post traz orientações que vão te ajudar na organização da sua rotina e, mais importante, fazendo com que você entenda o que combina melhor com sua personalidade. Acompanhe!

Como é seu rendimento ao longo do dia?

Antes de traçar o plano, entenda o funcionamento da sua cabeça e do seu corpo. Na parte da manhã você fica mais sonolento ou está a todo vapor? À tarde e à noite rola muita disposição ou não? Tire um tempinho e responda essas perguntas. Quando souber o seu nível de disposição pela manhã, tarde e noite, vá ao próximo item.

Organize e distribua as tarefas

Descobriu que pensa muito melhor pela manhã? Reserve algumas horas desse período para fazer a atividade mais difícil do dia, aquela que exige 100% da sua atenção. À tarde sua produção cai um pouco? Estar de olho nestes detalhes faz parte do autoconhecimento. Concentre-se nas obrigações mais operacionais, como responder e-mails, preencher formulários etc. O ideal é entender como é seu ritmo de produção ao longo do dia e encaixar as tarefas de acordo com sua capacidade. Importante: concentre-se em uma única atividade por vez e lembre-se que você não precisa estar disponível toda hora. Ficar alerta respondendo imediatamente às mensagens do Whatsapp ou e-mail é um hábito que desconcentra e mina qualquer planejamento.

Saiba o que é urgente ou não

É tanta coisa para fazer que você não faz ideia pode onde começar. Pare, respire e priorize. As urgências devem vir primeiro. Saiba quais são as tarefas de médio e longo prazo e o que você tem que decidir para agora ou para a próxima semana e próximos meses. Separe tudo e siga o próximo passo.

Trace metas

Tire um tempo para pensar no que você quer, a curto, médio e longo prazo. Este artigo pode te ajudar. De acordo com a urgência de cada objetivo, planeje as ações que devem ser realizadas para alcançá-los (lembrando das suas particularidades, seu ritmo, capacidades e limitações ao longo do dia).

Evite fazer listas mentais

Ok, você sabe o que quer e já tem ideia do que fazer para alcançar suas metas. Só que está tudo na sua cabeça. Chegou a hora de organizar seus desejos e tarefas em um planejamento físico. Pode ser aplicativo, agenda de papel, bullet journaling. São muitas opções, o importante é não armazenar essas informações na sua mente. Passar tudo para agenda (digital ou não) é uma forma de se organizar melhor e evitar confusões mentais, esquecimento e estresse. Escolha o método que mais combina com você e mãos à obra.

Planeje a mudança, mas não se cobre em excesso

Estudo da plataforma Sem Excesso revelou que 2 a cada 3 brasileiros admitem cometer excessos. Consumo de alimentos não saudáveis, compras por impulso, longas jornadas de trabalho e exageros nas bebidas alcoólicas figuram no topo de lista. Admitir o problema, como fizeram os participantes da pesquisa, é um passo super importante para reverter esse quadro. A partir daí, planeje, de acordo com a sua realidade, a forma de ter mais disciplina e mudar os hábitos nocivos. A nossa dica é que você escolha o método de mudança que se encaixe à sua rotina, ao seu tempo, sem se culpar ou se cobrar em excesso.

Fontes: com informações do canal Saber Filosófico/Leandro Karnal e da revista Galileu.

Posts Relacionados

Inscreva-se