Bebidas quentes e frias: entenda as diferenças

Como as bebidas alcoólicas quentes atuam no organismo? Elas são absorvidas do mesmo jeito que drinks gelados? Quais são os limites? Respondemos essas e outras perguntas. Acompanhe!

Tá chegando a hora de colocar para jogo todo o seu arsenal de cachecóis, casacos, botas e afins. O inverno está aí e sim, esse é um momento feliz. Diferente de muita gente, você curte um climinha mais frio e tudo que ele dá direito, seja se enroscar naquele edredom fofinho e assistir TV ou dar um rolê para aproveitar o menu de inverno dos restaurantes e, claro, as bebidas que também são servidas quentinhas.

Muita gente diz, inclusive, que as bebidas alcoólicas quentes atuam de forma diferente no organismo. Uns falam que são mais nutritivas, outros juram de pé junto que elas são mais fortes e requerem cuidado extra. Mas será mesmo? É isso que você vai saber agora! Vamos explicar se existe alguma diferença entre as bebidas alcoólicas tradicionais, servidas frias, e aquelas mais quentes e ainda respondemos perguntas frequentes sobre elas.

Antes de tudo é preciso esclarecer: qualquer tipo de bebida alcoólica deve ser consumida sem excesso, seja ela servida de forma quente, fria ou em temperatura ambiente, ok? Acompanhe e saiba mais!

O teor alcoólico das bebidas quentes é maior?

Depende. E para você entender o motivo, o primeiro passo é saber que a principal diferença entre as bebidas alcoólicas é a maneira de produção. Elas são divididas em duas categorias: destiladas  (passam por um processo de destilação a partir de frutas, grãos e outras partes vegetais) e fermentadas (seguem um processo de transformação dos açúcares de cereais e frutas em álcool). O teor alcoólico de cada bebida, destilada ou fermentada, varia muito de acordo com as substâncias presentes e o tempo de maturação, mas aquelas que são fermentadas – vinho ou cerveja por exemplo, costumam ter um grau alcoólico menor que as destiladas como vodka, whisky, conhaque, entre outros.

Agora respondendo à pergunta, como grande parte dos drinks de inverno que levam bebidas alcoólicas é feito com destilados, essas misturas realmente podem ter um maior teor alcoólico. Por outro lado, o vinho quente, por ser uma bebida fermentada, tem um grau alcoólico um pouco menor. Portanto, é essencial saber qual a substância que está na base da bebida e redobrar a atenção à quantidade ingerida, lembrando sempre de consumi-los sem excesso.

Bebidas quentes são absorvidas mais rápido pelo organismo?

 Mais uma vez, depende. Se o preparo da bebida quente unir destilados e açúcar isso pode ocorrer. Primeiro porque os destilados têm maior teor alcoólico e chegam mais rápido à corrente sanguínea. Segundo porque quando a substância é misturada ao açúcar esse processe é ainda mais acelerado. Ou seja, juntas as duas substâncias produzem um rápido pico alcoólico no organismo. Mas se a bebida quente em questão for o vinho, sua absorção é um pouco mais demorada. Vale lembrar que qualquer bebida alcoólica que leve destilado e açúcar, inclusive os tradicionais drinks gelados, irão produzir um pico alcoólico mais acelerado no organismo.

Bebidas de inverno são nutritivas e podem ser consumidas sem restrição?

Não. E vamos explicar o porquê. Como o estilo de vida saudável está em alta, proliferam receitas de drinks funcionais, ditos “nutritivos”. As misturas são variadas e levam desde chás à base de ervas e especiarias, chocolate amargo, e o tradicional quentão, bebida que mistura gengibre, cravo e cascas de limão e laranja. Mas não se engane, independentemente do quão nutritivo sejam os ingredientes do drink, se ele levar doses de bebidas alcoólicas, é importante consumi-los sem excesso para o bem de sua saúde.

Quais são os limites de consumo?

Para não haver problema para o seu organismo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que homens consumam até três doses de bebidas alcoólicas por dia e, mulheres consumam até duas doses, considerando que as doses tenham de 8 a 13 gramas de álcool. A regra vale para qualquer tipo de bebida alcoólica, seja um preparo gelado ou quente. Outra recomendação da OMS, é que homens e mulheres tenham pelo menos dois dias na semana de total abstinência.

Fonte: Portal Drauzio Varela e El Pais.

 

Posts Relacionados

Inscreva-se