Prefeitura contra as bebidas alcoólicas na gravidez

São Paulo agora tem lei determinando que deve ser realizada uma campanha educativa para alertar sobre Síndrome Alcoólica Fetal.

Gravidez não combina com bebidas alcoólicas. É essa a mensagem que São Paulo pretende passar aos moradores em campanhas continuadas de conscientização. Sancionada pelo prefeito Fernando Haddad este mês (novembro), a Lei 16.563/ 16 pretende promover o conhecimento das causas e consequências da Síndrome Alcoólica Fetal, que o Portal Sem Excesso já mostrou aqui

Não existem níveis seguros para o consumo de bebidas alcoólicas durante a gestação e as indicações de que algumas delas em pequenas doses seriam benéficas ainda carecem de comprovação. A síndrome que pode ser gerada por esse hábito da mãe pode levar a má-formações, alterações neurológicas, do coração e dos rins. Nem todos os bebês nascidos de mães que ingeriam bebidas alcoólicas, porém, sofrerão tais consequências.

A produção de material educativo sobre o assunto pela prefeitura paulistana foi motivo de um projeto de lei da Câmara dos Vereadores. A norma diz que “entre outras medidas, o Poder Público poderá colocar cartazes alusivos aos riscos da Síndrome Alcoólica Fetal nos estabelecimentos que comercializam bebidas alcoólicas”.

Posts Relacionados

Inscreva-se