Como driblar a pressão no trabalho?

O fim de ano está aí e com ele várias metas para garantir um saldo positivo na virada de 2019. Acompanhe as nossas dicas e saiba como se organizar para vencer a pressão no trabalho.

É um efeito em cascata: a concorrência acirrada aumenta a exigência por qualidade, o que demanda mais entregas em prazos menores e resultados exemplares. Ok, essa é a realidade do mercado e você tá careca de saber. Não é de hoje que seu chefe toca nesse assunto para justificar o crescimento das urgências. E as imposições nem são o problema, pois você está acostumada a pôr a mão na massa e dar o seu melhor para garantir saldos superiores. O porém é que o fim de ano está aí e o cansaço acumulado anda prejudicando sua vontade de bater as metas e lidar com tanta pressão.

Você faz parte desse time? Se usarmos como base as últimas pesquisas, tem grandes chances de a resposta ser sim. De acordo com o levantamento do International Stress Management Association, nove a cada 10 trabalhadores brasileiros têm algum sintoma de ansiedade, do grau mais leve ao mais paralisante. Outro estudo, realizado pela plataforma Sem Excesso, também aponta as longas jornadas de trabalho como um problema comum, citado pelos participantes como o terceiro maior excesso cometido.

Para esse quadro não piorar até o fim do ano, ouvimos psicólogos ligados à Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil) e selecionamos atitudes simples, mas eficazes para te ajudar a sobressair ao caos e vencer mais etapa. Respire fundo e vamos lá!

Abra o jogo

Seu gestor deve saber em detalhes o que você está desenvolvendo e qual a sua capacidade de entrega. Não adianta absorver mais e mais demandas sem fazer um cálculo do que você pode executar bem. É muito melhor ser transparente e dizer até onde você pode chegar para entregar um trabalho sem falhas do que se comprometer com metas que vão te sobrecarregar e gerar resultados ineficazes.

Entenda o que é prioridade no trabalho

Apesar de tudo ser “pra ontem”, nem todas das demandas têm a mesma prioridade. Mais uma vez, é importante ter uma conversa clara com a chefia e entender de fato o que deve ter preferência na lista de tarefas. A partir daí, monte um cronograma que pode ser atualizado ao fim de cada dia de expediente.

Planeje-se

Não abra mão da organização. Mesmo que seu dia esteja completamente cheio, reservar um momento para se planejar vai te fazer muito bem. Se você conseguir organizar sua agenda semanal e diária com as prioridades definidas, melhor ainda. Os especialistas indicam reservar um tempo aos fins de semana para a tarefa. Como são dias que normalmente não têm demandas, você estará com a cabeça mais tranquila e conseguirá se programar melhor. Saiba mais sobre a importância da organização.

Não armazene tudo na cabeça

São muitas responsabilidades e você sabe todas de cor? Evite esse comportamento. Quanto mais informação você armazena, maior a chance de ficar estressado. Existem ótimos mecanismos de organização, desde a agenda clássica, a aplicativos, alertas do celular etc. Escolha o mecanismo que mais te agrada e alinhe-o com o seu cronograma.

O dia não tem 48 horas e isso não é um problema

Por mais que você renda muito, é importante se impor um limite. Se o prazo está apertado demais, negocie. Não é vergonha alguma fazer um acordo com o gestor, ajustar expectativas e envolver outras pessoas da equipe na tarefa. Ter que se dedicar muito, além do expediente, não deve ser uma regra e sim uma exceção.

Desconecte-se

É fundamental reservar um tempo para não pensar em trabalho. E para melhorar esse momento de lazer, fazer coisas novas pode estimular ainda mais o seu bem-estar. Cozinhar uma receita diferente, praticar um exercício novo ou conhecer um restaurante são ótimas pedidas. Não tá a fim de novidade e se sente super bem fazendo o programa de sempre? Tudo bem! O importante é se desligar dos compromissos de trabalho para renovar as energias.

Bebidas alcoólicas não aliviam a pressão

Como falamos acima, relaxar é fundamental para manter a saúde do seu corpo e da sua mente. Se a escolha foi um happy hour com os amigos, ótimo, desde que o consumo bebidas alcoólicas seja sem excesso. Lembre-se que os drinks não servem para amenizar problemas. Pelo contrário, em grandes quantidades eles só vão piorar seu estado emocional.

Fonte: com informações da ABRH-Brasil e revista Exame.

Posts Relacionados

Inscreva-se