Equilíbrio nas compras de fim de ano? Sim, é possível!

Décimo terceiro, Black Friday, Natal batendo à sua porta: difícil não querer fazer compras. Mas antes de decidir sobre as futuras aquisições, que tal fazer uma limpa nos excessos? Veja nossas dicas!

Foi difícil, mas você resistiu a cada vitrine linda que encontrou no caminho. Aguentou firme e não clicou nem nos posts promocionais dos seus instagramers favoritos. Isso nas últimas semanas. O desafio agora é segurar a onda até o Natal e passar ileso às tentações geradas pela grana extra do décimo terceiro salário; sem falar nas ofertas da Black Friday. É uma época em que o consumismo reina, logo ele que é um dos cinco maiores excessos dos brasileiros. Será que vai sobrar resistir às compras? Se depender de nós, sim!

Pesquisamos entre os melhores especialistas orientações para te ajudar a repensar a necessidade de novas compras (mesmo com ofertas imperdíveis) e o que de fato você precisa para se sentir bem. São dicas para hoje, amanhã e sempre: uma vida com sentido, mais equilibrada e sem excessos requer uma reflexão diária sobre suas atitudes. Seja para conter ímpetos consumistas, exageros relacionados a bebidas alcoólicas ou alimentação desregrada. Ponderação, análise e paciência devem fazer parte de sua rotina. Vamos começar? Com a nossa ajuda e uma boa dose de força de vontade, essa tarefa vai ficar bem mais leve. Acompanhe!

Comece pequeno, sem radicalismos

Não adianta você pisar no freio bruscamente. Sem saber o que você quer, nenhuma atitude vai surtir o efeito desejado. Tire um tempo para pensar profundamente nos seus objetivos de vida e consumo. O que você gasta é coerente com a sua realidade? Faz sentido para o futuro? Faça essas perguntas e analise tudo que você já tem e o que é realmente é necessário para você se sentir bem. Esse é o primeiro passo de uma caminhada rumo ao que você deseja.

Crie metas relacionadas ao futuro que você quer

Deixar de comprar só para não gastar, sem um objetivo em mente, é muito mais difícil. O ideal é que você escolha não adquirir agora para realizar algo muito mais relevante no futuro. Seja uma viagem, um bem durável, ou ter grana suficiente na poupança para se sentir mais tranquilo.

Hora da faxina

Um excelente exercício para evitar compras desnecessárias é saber o que você tem. E para isso, nada melhor que organização precedida de uma boa faxina para eliminar excessos. Programa-se (porque não é algo legal de fazer na correria) e vasculhe cada parte da sua casa. Separe o que você não abre mão e repense o destino de tudo que você não usa há muito tempo. Aqui um passo a passo que vai te auxiliar a separar o que é útil ou não.

Faça um diário financeiro

Anotar todos os seus gastos é fundamental para entender qual o destino que você dá ao seu dinheiro. Só assim é possível controlá-lo e fazer escolhas melhores. Seja o almoço ou uma blusinha, não importa. Tudo deve entrar no seu controle. Uma dica é usar apps para lançar suas despesas, eles funcionam como uma planilha de gastos e ajudam muito em seu balanço mensal (existem ótimas opções no Google Play ou Apple Store).

Repense suas prestações

Parcelar em 10 vezes sem juros é algo tentador e exatamente por isso requer atenção em dobro. Antes de fazer uma nova compra parcelada assegure-se de que não há um acúmulo de prestações. O ideal é criar uma rotina. Por exemplo: 5% do seu salário pode ser destinado a compras por mês. Ao fazer esse controle, lembre-se de todas as prestações programadas para os próximos meses e avalie se estão dentro do seu limite de gastos. Não faça novas parcelas antes de quitar as antigas.

Na hora da tentação: questione-se!

Eu preciso disso para que mesmo? Essa é uma pergunta curinga que vale pra tudo: roupa nova, o best-seller que acabou de sair do forno, a promoção imperdível que não para de piscar na tela do computador. Se a resposta for algo como “porque esse livro vai me acrescentar algo importante” ou “aquela roupa vai ser super útil em reuniões, além de ter ótima durabilidade”, tudo bem. Mas se a resposta tiver ligação com “quero impressionar fulano” ou “porque todo mundo tem” repense a compra.

Fonte: com informações da revista Exame, portal El País e BBC.

Posts Relacionados

Inscreva-se