Exercícios físicos: frequência é importante, mas sem excesso

 150 minutos de caminhada semanais é o que recomenda a OMS. Seu corpo pode ir muito além disso e para alcançar mais saúde, mas o exagero de exercícios físicos pode levar aos efeitos contrários.

Esquecer o elevador e chegar em casa pelas escadas. Caminhar até o trabalho. Exercitar-se sempre que possível. Dicas como essas fazem parte do repertório de médicos para todos os seus pacientes, já que exercícios físicos são essenciais para uma vida saudável. Mas, qual é a quantidade ideal de esforço? Oficialmente, a recomendação é de 600 equivalentes metabólicos (MET, na sigla em inglês) por semana, algo como 150 minutos de atividades leves, como caminhadas, ou 75 minutos de exercícios mais pesados, como corrida. É o que diz a Organização Mundial de Saúde (OMS).

É importante ter em mente essas regras e manter em dia, no mínimo, esses padrões de atividades físicas. E mais do que isso, pode? Sim, e sua saúde vai até agradecer – mas há limites, porque o excesso nesse caso também é perigoso. De acordo com estudo coordenado por pesquisadores da Universidade de Harvard, quem faz três vezes mais exercícios físicos do que a recomendação da OMS tem aumentada em 39% as chances de uma vida mais longeva. O trabalho, publicado na JAMA Internal Medicine, revisou seis grandes estudos em saúde e, assim, teve acesso a dados de mais de 600 mil pessoas para chegar a conclusão.

Eles identificaram que, além dessa quantidade três vezes maior do que o prescrito pela OMS, os ganhos para a saúde não são expressivos. Caso seus objetivos sejam esportivos, como ganhar alguma competição, ou emagrecer em um período curto, podem haver ganhos no maior tempo dedicado aos exercícios, mas cuidado: especialistas alertam para os riscos dos excessos nas atividades físicas. Se você pretende ir até o seu limite, procure a orientação e o acompanhamento de profissionais de educação física para a empreitada. Veja os perigos de exagerar:

1- Lesões: as articulações e músculos precisam de tempo de repouso para se recuperarem depois de um esforço muito intenso. O tempo necessário depende da resistência física e dos hábitos individuais, mas ir além do seu limite pode render problemas para o corpo. Não se arrisque.

2- Coração: não é novidade para ninguém que, durante a prática de exercícios, o coração fica acelerado e isso é importante para o metabolismo. Porém, quando há exageros, essa aceleração pode se manter mesmo quando a pessoa está em repouso, o que pode levar a uma arritmia com consequências perigosas para a saúde.

3- Sangue: pode ficar mais grosso e, assim, entupir artérias.

Então, agora que você já sabe o mínimo de exercícios físicos semanais e os riscos dos excessos, procure ajuda de profissionais para alcançar seus objetivos de saúde com equilíbrio.

Alguma dica para uma vida menos sedentária? Compartilhe com a gente.

Fonte: com informações da Folha de S. Paulo e do Conselho Federal de Educação Física (Confef).

 

 

 

Posts Relacionados

Inscreva-se