Relação entre filhos e pais: tome a iniciativa de melhorá-la

Exagerou na discussão? Peça desculpas. Não conseguem mais conversar? Crie uma situação adequada para isso. Veja nossas dicas para melhorar a relação com seus pais.

Conflitos de gerações. É assim que muita gente nomeia os desentendimentos constantes entre pais e filhos. Sejam quais forem os motivos, é muito comum, especialmente na adolescência e no início da fase adulta, as discordâncias – que facilmente viram brigas. Então essa é a primeira coisa que você, que acha a relação com seus pais complicada, precisa saber: você não está sozinho. Mas claro que, mesmo sendo comuns as dificuldades, é possível – e preciso – tentar amenizar a situação para se ter uma vida familiar mais harmônica. Como? Temos algumas dicas para você se afastar dos excessos que podem levar a desavenças.

Comece com o mais simples: dê o primeiro passo. Se você está com problemas com os seus pais, tome a iniciativa de buscar soluções. Afastar-se e isolar-se em seu quarto não ajuda. Que tal começar criando situações para que vocês se aproximem e conversem? Às vezes, basta sugerir desligar a televisão ou deixar os celulares de lado durante as refeições. Ou talvez vocês possam resgatar algum programa que já fizeram juntos e que se perdeu no passado. Ir ao cinema, passear no parque, fazer uma caminhada. Qualquer coisa que dê prazer a todos, a ideia é viver juntos momentos alegres.

Por exemplo, na próxima vez que for ao estádio ver seu time jogar, quem sabe não vai com seus pais? Afinal, provavelmente foi deles que herdou a preferência pela sua equipe do coração. E isso é bom também manter em mente na hora da reaproximação: você pode até discordar deles em muitos aspectos, mas boa parte do que você é hoje, deve a eles. Com isso em mente, use os momentos de confraternização com seus pais para entender seus pontos de vista. No lugar de acusá-los de alguma coisa que te incomode, pergunte sobre as razões de eles agirem assim. E, claro, depois diga qual é o seu ponto de vista sobre isso.

Na hora de expor suas ideias e seus incômodos, não exagere em nada. Evite elevar demais o tom de voz e procure não desqualificar as ideias dos seus pais. Já falamos sobre “comunicação não-violenta” e as mesmas dicas seguem válidas: tenha empatia, mostre seus sentimentos e seja claro em suas demandas. E, principalmente, lembre-se: seu objetivo não é ganhar uma discussão e nem convencer seus pais de nada. Procure apenas garantir que eles entendam as questões que são importantes para você.

Isso só será possível, claro, se você estiver disposto a ouvi-los e também considerar seus argumentos. Por exemplo, se eles te proíbem de ingerir bebidas alcoólicas porque você não completou 18 anos, é melhor ouvi-los. O argumento de “meus amigos bebem” não é tão bom quanto todas as razões de saúde para você esperar um pouco antes de buscar esse tipo de lazer, veja. Então, abra-se para ouvi-los lembrando-se sempre que eles querem o seu bem.

Outra dica importante: reconheça seus excessos. Se você foi agressivo demais em alguma discussão ou exagerou na truculência ao tratar de alguma questão, peça desculpas. Assuma que errou e diga que quer tentar resolver o problema de maneira mais equilibrada. Ao fazer isso, você vai abrir espaço para que seus pais também repensem as suas posturas e todo mundo sai ganhando na relação.

Fontes: com informações dos portais Uol, G1 e R7.

Posts Relacionados

Inscreva-se