Neste fim de ano, use a tecnologia a seu favor

A utilização de tecnologias e redes sociais sem excesso, principalmente em datas como Natal e réveillon, contribui para dar mais sentido aos relacionamentos.

Lista de presentes, confraternizações da firma, do grupo de pós-graduação, das amigas da natação. Uma coisa é certa: tempo é artigo raro em dezembro. Para driblarmos a agenda tumultuada e não deixar ninguém de fora das felicitações de Natal e ano novo acabamos recorrendo às redes sociais. Afinal de contas, a tecnologia existe é para facilitar a vida das pessoas, certo? O porém, como destaca o psicanalista Túlio Picinini, é que todo avanço tecnológico tem seu efeito colateral.

Segundo ele, smartphones, tablets e redes sociais possibilitam a produção e consumo de situações de comunicação o tempo todo. É daí que vem o problema do excesso no uso. Muitas pessoas perdem o controle e passam a viver em função das inúmeras ferramentas digitais, transferindo suas relações pessoais e profissionais para campo eletrônico. Agora, em época de festas, esse comportamento é ainda mais comum e vem sendo tratado como uma espécie de incumbência. Mas o psicanalista alerta: não faça do seu fim de ano uma tarefa.

Ele explica que a pessoa que compartilha mensagens prontas com uma lista de amigos, sem nenhum tipo de individualização, não está cuidando dos relacionamentos, está cumprindo um dever. Em excesso, essas mensagens tornam-se vazias, sem sentido, e isso faz muito mal, até mesmo para a saúde. Túlio Picinini recomenda que as pessoas façam uma reflexão acerca de seu comportamento nas esferas digitais e pense, principalmente, no que seria o excesso.

Ele lembra que a humanização só ocorre no contato com outro indivíduo e se o relacionamento for essencialmente digital ele se torna mecânico, pois não propicia uma troca verdadeira. Caso tenha se identificado com essas descrições e queira mudar seu comportamento, o psicanalista indica se concentrar naquilo que faz sentido para você. Use a tecnologia para possibilitar o encontro, “as redes sociais são o meio, não o fim”, diz.

Se não houver condições para o encontro pessoal, tire um tempo para fazer um telefonema ou mesmo escrever, de próprio punho, mensagens autênticas para as pessoas queridas. “Faça isso não só pelas outras pessoas, mas por você”. E, sem excessos, é tempo de aproveitar as festas

Posts Relacionados

Inscreva-se