Gorduras do bem X carboidratos

Dietas ricas em gorduras boas e com quase nada de carboidratos estão fazendo sucesso, mas será que elas são fonte de uma vida mais saudável?

Sai o óleo de cozinha, entra o azeite. Carnes magras, peixe e frutos do mar no lugar daquela picanha habitual. Evite o pão e dê preferência para castanhas, amêndoas, nozes, chia e linhaça nos lanches da tarde. Ah, e não pode faltar o abacate, o must have do menu saudável. Essas dietas ricas em “gorduras do bem” (a cetogênica é uma das mais conhecidas) são as queridinhas do momento e, talvez, a principal escolha de quem quer perder medidas, melhorar a pele e aumentar o metabolismo.

Apesar de estarem na moda, o bem-estar proporcionado pelos cardápios repletos de gorduras saudáveis não são exatamente uma novidade. Há bastante tempo já se sabe que além de ajudarem a manter o nível do HDL (o colesterol bom) e baixarem o ruim (LDL), esses alimentos melhoram a produção de hormônios e são importantes para o transporte das vitaminas no sangue. O porém é que grande parte dos atuais defensores das dietas ricas em gorduras do bem colocam os carboidratos como verdadeiros vilões, o que não é verdade, segundo nutricionistas de renome, como Andrea Santa Rosa, fundadora do programa Vida Funcional.

O ideal, como a especialista defende, é consumir a gordura boa sem excessos (sejam as proteínas, sementes ou oleaginosas) e apostar em um cardápio variado que também inclua carboidratos, sobretudo na sua versão rica em fibras. Pensando nisso, selecionamos dicas preciosas para você equilibrar sua dieta e te contamos o porquê manter os carboidratos em seu cardápio.

Tchau, carboidrato. Tchau, massa magra

Dietas pobres em massas, pães, arroz e outros carboidratos exigem que o organismo encontre combustível em outro lugar, como o glicogênio, elemento comum nos músculos. A dica dos especialistas é consumir pelo menos uma porção nas principais refeições do dia (café da manhã, almoço e jantar).

Quer mais energia? Vá de fibra!

Aveia, cevada, ervilha, feijão, abóbora, quinoa, arroz e pão integral são exemplos de carboidratos ricos em fibras e nutrientes capazes de saciar e gerar a energia necessária para o organismo. Para dar aquele up no humor e disposição, o ideal é dar preferência a esses alimentos e evitar os carboidratos simples e produtos industrializados, à base de farinha branca.

Os grãos integrais são excelentes para reduzir a barriguinha

Pesquisa recente da Universidade de Trufts (EUA) revelou que consumir três porções diárias de grãos integrais, no lugar dos carboidratos refinados, ajudam a diminuir os índices de gordura abdominal em 10%. Além do pão e arroz integral, invista em sementes (chia, linhaça) e cereais como amaranto e painço.

Lembramos que para encontrar a dieta mais adequada para você, é importante consultar um médico ou um nutricionista. Só esses profissionais têm condições de avaliar seu metabolismo e indicar o cardápio ideal para as suas necessidades.

Fonte: com informações do Programa Vida Funcional

 

 

Posts Relacionados

Inscreva-se