Higiene bucal: excesso de limpeza faz mal?

O açúcar não é o único vilão da saúde bucal; conheça erros comuns que podem ser um problema para o seu sorriso

Vento batendo no rosto, sorriso largo, dentes saudáveis, gostinho de hálito fresco, sensação de liberdade. Cá entre nós, quem nunca se deparou com uma cena clichê como essa, seja em outdoors ou na TV, e correu para comprar aquela pasta de dente ou enxaguante mega power? Sabemos que a  indústria da higiene bucal não mede esforços para recomendar o uso frequente de uma infinidade de produtos! O importante é lembrar que até mesmo a limpeza, se for em excesso, faz mal.

Exagerar na escovação, no bochecho ou no uso de antissépticos pode enfraquecer os dentes e deixá-los mais vulneráveis a diversas doenças, incluindo as temidas cáries. É bom lembrar que isso não quer dizer que você deva limpar menos os seus dentes! O importante é ter cuidado e prezar pela qualidade da higiene bucal e não pela quantidade de vezes ou produtos que usa. Pesquisamos recomendações super válidas que vão te ajudar a manter a graça do seu sorriso intacta.

Bochechar: muita água significa problema

Um estudo escocês publicado em edição recente da revista Caries Research alertou que usar muita água para bochechar os dentes após a escovação pode diminuir a eficácia do flúor deixado na boca pela pasta. Os resultados mostraram que esse hábito pode enfraquecer os dentes deixando-os mais suscetíveis a cáries e outras doenças. Apesar da pesquisa não ser conclusiva, os especialistas ressaltam que pessoas mais propensas a problemas bucais devem ter o cuidado de não usar muita água no bochecho pós escovação.

Pasta de dente: menos é mais

De novo, quantidade não quer dizer qualidade. Tanto na escovação como na medida da pasta de dente, nossa dica é: equilíbrio. Os dentistas garantem que não é necessário escovar os dentes mais de três vezes ao dia (ou seja, após as principais refeições já é suficiente).  Eles recomendam, também, que a quantidade de pasta de dente deve ser equivalente ao tamanho de uma ervilha, não precisa encobrir as cerdas com o produto. Isso porque se o flúor (que está presente nas pastas) for usado em excesso, ele pode deixar os dentes mais fracos, quebradiços e causar manchas.

Enxaguantes: só se for de vez em quando

Apesar de serem vendidos livremente, os enxaguantes bucais devem ser usados com a orientação de um dentista.  Esses produtos são indicados em casos específicos, como após uma cirurgia ou para quem tem problemas na gengiva. A maioria dos antissépticos tem alta concentração de álcool para eliminar as bactérias e se houver uso frequente o produto pode acabar também com as bactérias boas, fundamentais para o início do processo digestivo e equilíbrio da acidez da boca. Outro problema do uso excessivo de enxaguantes é que o produto pode deixar os dentes mais porosos e expostos a cáries e manchas.

Fio dental: todo cuidado é pouco

Recomendação quase unânime, o uso do fio dental também merece cuidados. Indicado para remover a placa, os dentistas recomendam o uso diário, mas de preferência antes de dormir, já que durante o descanso a boca fica mais vulnerável a bactérias, devido à baixa salivação. É preciso ter cuidado ao manejar o fio, pois se passado de forma errada ele pode machucar a gengiva e deslocar bactérias para a corrente sanguínea.

Fonte: com informações da Associação Brasileira de Odontologia (ABO) e revista Saúde

Posts Relacionados

Inscreva-se