Informação demais atrapalha?

Entenda porque filtrar as informações e focar no que realmente interessa pode contribuir para sua saúde e rotina sem excessos

O ritmo frenético imposto pela tecnologia vem afetando nosso comportamento e principalmente a maneira como nos informamos, muitas vezes ditada pelos excessos. É importante observar que a abundância de informações tem seu lado positivo, mas para aproveitá-la é preciso ter autocontrole e um filtro apurado para evitar problemas relacionados a memória e à capacidade de decisão. Essa foi a conclusão de estudo recente divulgado pela empresa de segurança cibernética Kaspersky Lab.

Depois de avaliar o comportamento de 6 mil pessoas, entre homens e mulheres de 16 a 55 anos, a pesquisa identificou uma síndrome que está ligada aos excessos de informação, a “amnésia digital”. Seria uma espécie de “esquecimento espontâneo”, gerado por um hábito muito comum nos nossos tempos: memorizamos pouco as informações, já que elas estão na internet e são facilmente encontradas por ferramentas de busca online. Isso ocorre também com dados pessoais, como números de telefone ou endereços armazenados em celulares e outros dispositivos móveis.

De acordo com 79,5% dos entrevistados, a internet é usada como uma extensão do próprio cérebro e se esquecer de uma informação não é considerado algo ruim. Diante de alguma questão, 36% dos participantes recorrem à internet antes de tentarem se lembrar da resposta e 24% deles se esqueceriam de uma informação que aprenderam na internet assim que ela fosse utilizada.

Cerca de 30% das pessoas disseram não se importar em perder dados e recordações pessoais, desde que possam recuperá-los na nuvem online. No entanto, as mulheres e os jovens se mostraram preocupados com a possível perda, porque, segundo eles, grande parte da memória armazenada nos aparelhos digitais nunca poderia ser recuperada. Entre os participantes adultos, aproximadamente 60% se lembravam do telefone da casa onde viviam quando tinham 10 anos, mas não sabiam dos números dos filhos ou do trabalho; e um terço desse total não se recordava do telefone do próprio cônjuge.

Como proceder diante da abundância de informações para não prejudicarmos nossa rotina sem excessos? O primeiro passo, segundo o psiquiatra e escritor Augusto Cury, é promover constantemente uma “higiene mental”, se concentrar para descongestionar e ordenar os pensamentos. Outro passo essencial é selecionar o que de fato é interessante para você e sempre fazer uma análise crítica das informações antes de tomá-las como verdade. Ele destaca que por mais que o mundo exija rapidez é importante desacelerar para favorecer sua saúde, qualidade de vida e produtividade.

Demos aqui algumas dicas para não deixar a tecnologia atrapalhar o tempo com a sua família.

Fonte: com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Posts Relacionados

Inscreva-se