Jejum intermitente, sem excessos

Defendido por nutricionistas, o método de jejum intermitente pode trazer benefícios àqueles que desejam perder peso, mas é importante seguir orientações alimentícias para não prejudicar a saúde

A festa de arromba da sua melhor amiga é na semana que vem, mas aquele vestido favorito tá longe de servir depois dos quilos extras adquiridos nas férias. Você já começou a correr aos fins de semana, trocou o elevador pela escada e reduziu bastante o tamanho dos pratos, mas tudo isso leva tempo para dar resultado. Por que não recorrer à estratégia alimentar do momento, o jejum intermitente?

Defendido por nutricionistas de renome e celebridades como Beyoncé, Deborah Secco e Sabrina Sato, a prática sugere que a pessoa fique de 12 a 18 horas sem ingerir nenhum tipo de alimento, em dias alternados ou duas vezes por semana. A recompensa seria a queima de gordura, sem interferência no volume de massa magra, manutenção do metabolismo e ampliação da longevidade, já que o procedimento pode ajudar a combater radicais livres.

Parece um máximo, não é? Entretanto, os especialistas alertam que cada organismo reage de um jeito ao jejum. Pensando nisso, pesquisamos orientações valiosas de nutricionistas, endocrinologistas e nutrólogos e listamos para você. De um modo geral, a estratégia alimentar é vista com bons olhos pelos especialistas, mas é importante tomar cuidados para que ela seja seguida sem excesso e você possa aproveitar seus benefícios, sem prejuízos à saúde. Confira:

Primeiro passo: é importante entender o jejum intermitente

Os especialistas explicam que o jejum intermitente não é uma dieta e sim uma estratégia alimentar. Na maioria dos casos, é indicado que a pessoa siga a prática por, no máximo, dois dias na semana, por um período de tempo que vai variar de acordo com o objetivo da pessoa. Para os iniciantes, o ideal é começar com 12 horas de jejum (jantar às 20 horas e café da manhã às 8 horas do dia seguinte, por exemplo). Mas é fundamental que os interessados consultem um médico ou um nutricionista para entender o intervalo mais adequado ao seu organismo e meta.

Redobre os cuidados com a escolha dos alimentos

Para aderir à prática, é importante evitar o consumo de alimentos processados, como enlatados, nuggets, hambúrguer, pão de forma industrializado, sucos de caixinha, refrigerante, entre outros. Os especialistas indicam o consumo de alimentos nutritivos, ricos em gordura boa e que saciem como carnes magras, sementes, frutas (sobretudo o abacate), azeite de oliva, óleo de coco, castanhas e legumes em geral.

Beba bastante água

Estar hidratado durante o período do jejum é fundamental para a manutenção da saúde. São indicados dois litros de água por dia. Chás ou café sem adição de açúcar também são permitidos.

Quem não pode aderir ao jejum?

Pessoas idosas, gestantes ou aquelas que tenham diabetes não devem fazer o jejum intermitente, pois elas correm o risco de ter hipoglicemia (falta de açúcar no sangue).

É importante ressaltar que, apesar de vários especialistas defenderem a adesão ao jejum intermitente para perda rápida de peso, não existem pesquisas conclusivas sobre os benefícios a longo prazo para a saúde.

Fonte: com informações do documentário da BBC “Eat, Fast and Live Longer”, jornal Nexo e revista Marie Claire.

Posts Relacionados

Inscreva-se