Junho é mês do doador de sangue

O Dia Nacional do Doador de Sangue é celebrado em 14 de junho; saiba quais excessos devem ser evitados para não se sentir mal-estar depois da doação e garantir a qualidade do sangue

Quem consegue manter uma rotina sem excesso acaba se tornando um bom candidato a doador de sangue – afinal, boa saúde é fundamental para ser voluntário. É preciso, porém, ter alguns cuidados extras na data da doação e, com a proximidade do Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado em 14 de junho, trazemos algumas dicas. A moderação e o equilíbrio devem ser ainda mais levados a sério.

De acordo com as diretrizes nacionais do Ministério da Saúde, o ideal é estar bem alimentado na hora da doação. Isso significa que é importante fazer uma refeição leve, mas deve-se evitar comidas pesadas. Depois da ingestão de gorduras, é preciso esperar pelo menos quatro horas antes do procedimento. Se a gordura for em excesso, no caso de comidas como feijoada, por exemplo, recomenda-se esperar até o dia seguinte. Esse tipo de exagero pode, de acordo com Viviane Guerra, da gerência de captação e cadastro da Fundação Hemominas, levar a alterações nos exames e inviabilizar o uso do sangue doado.

Quando o assunto é bebida alcoólica, é preciso também ter moderação. O consumo de até 40 gramas de álcool impede a doação por 12 horas. Qualquer quantidade acima disso exige que o prazo seja de 24 horas. A quantidade seria o equivalente, por exemplo, a cerca de quatro copos pequenos de cerveja. O principal problema, nesse caso, é a desidratação causada pelo consumo de bebidas alcoólicas. Como explica Viviane, a quantidade de sangue coletada não faz falta ao doador e é reposta em 24 horas, mas, para isso, a água do organismo é fundamental. Assim, uma das principais recomendações é manter-se hidratado e beber mais água do que o habitual antes e depois da doação.

Também é necessária uma boa noite de sono. “Tudo interfere no metabolismo e o nível de cansaço pode se agravar depois que a pessoa doar o sangue”, explica Viviane Guerra. Seguir essas instruções ajuda a evitar possíveis reações adversas, como mal-estar e tonturas. Para que desconfortos como esses não aconteçam, o ideal é não exagerar nos esforços físicos depois de doar sangue. “A rotina pode continuar normalmente, só se deve evitar exercícios acentuados”, explica. Ela lembra que o voluntário recebe um atestado para aquele dia de trabalho e isso é importante especialmente para quem realiza atividades profissionais que exigem grande vigor, como operação de máquinas pesadas.

Levados em consideração esses cuidados, a doação não causa nenhum prejuízo à saúde e, a cada vez que alguém doa sangue, até quatro pessoas podem ser beneficiadas. No Brasil, cerca de 3,6 milhões de pessoas anualmente levam isso em consideração e se tornam voluntárias. Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e ter boa saúde. No dia marcado, serão feitas perguntas íntimas sobre hábitos pessoais para uma triagem, mas o sigilo é garantido.

E você? Tem mais alguma dúvida sobre a doação de sangue?

Posts Relacionados

Inscreva-se