Mitos e verdades sobre a higiene infantil

Tudo em excesso faz mal, inclusive a limpeza dos pequenos. Listamos dicas para você cuidar do que importa: a saúde do seu filho

Começou com o primeiro dia do bebê em casa: frascos de álcool em gel por todos os cantos, faxinas diárias para não dar chance à poeira, mãos, rosto e cabelos extremamente limpos antes de tocar no seu pequeno. Com poucas vacinas, recém-nascidos realmente exigem mais cuidados com a higiene, o único detalhe é que três anos se passaram e esse hábito não mudou.

Pisar na grama não pode, brincar com o cãozinho do vizinho muito menos. Mão suja na boca? Em hipótese alguma. Se identificou nessa descrição? Você não está sozinho. É super comum que pais e mães de primeira viagem tenham dúvidas sobre a higiene das crianças e exagerem nos cuidados. Mas não se preocupe, já que evitar excessos é nossa especialidade, fizemos uma lista incrível com os principais mitos e verdades sobre a limpeza dos pequenos. Acompanhe!

Falta de contato com micróbios enfraquece o sistema imunológico: VERDADE

As crianças estão sempre em movimento, brincando e praticando exercícios. Isso pode aumentar o contato delas com micróbios e bactérias em geral. Mesmo assim, vários estudos no campo das “hipóteses da higiene” indicam que limpeza em excesso piora a imunidade das crianças. E uma das últimas pesquisas sobre o tema, realizada pela Escola de Medicina da Universidade da Califórnia, afirmou que a lavagem excessiva da pele e mãos prejudica sua capacidade recuperação após ferimentos. Isso porque o uso demasiado de produtos de limpeza elimina também as bactérias boas que ajudam o tecido humano a prevenir infecções.

Brincar com terra ou animais é perigoso para a saúde infantil: MENTIRA

A maior parte dos micro-organismos que vivem na terra, na grama e em bichos de estimação não causam problemas para as crianças, afirma a microbióloga e autora do livro “Why Dirt is Good”, Mary Ruebush. Segundo ela, é saudável deixar crianças andarem descalças em gramados, areia ou quintal e brincarem com animais de estimação. Essa é uma maneira de ajudar a aumentar a resistência dos pequenos e evitar alergias e doenças autoimunes.

É importante lavar as mãos após ir ao banheiro e antes de comer: VERDADE

Lavar as mãos com sabão neutro e água corrente após usar o banheiro e antes das refeições já é o suficiente para evitar que germes causadores de doenças prejudique a saúde infantil.

Limpar a casa com produtos bactericidas é melhor para a saúde: MENTIRA

Engana-se quem pensa que o piso precisa estar limpo e desinfetado para as crianças brincarem. Certos produtos que prometem matar bactérias podem, na verdade, ajudá-las a ficar mais resistentes e difíceis de combater. Para a limpeza da casa, prefira produtos neutros ou faça uma mistura de água, vinagre e álcool. No banheiro você não precisa usar nada além de água sanitária.

Crianças devem redobrar os cuidados com a higiene dos olhos: MENTIRA

Diferente do que muita gente pensa, uma vez por dia, durante o banho, é o suficiente para manter a limpeza dos olhos das crianças. É indicado usar apenas água para lavar a região dos olhos. Mas se houver algum tipo de secreção, é importante pedir orientações ao pediatra.

Limpar ouvidos com hastes flexíveis é ruim: VERDADE

É contraindicado usar hastes flexíveis nos condutos auditivos (orifício do ouvido), sobretudo em crianças. Primeiro porque a região é muito mais delicada nos pequenos e sofre no contato com a haste. Segundo porque ao invés de remover a sujeira, normalmente ela é empurrada para dentro do orifício. Se você não abrir mão do cotonete, o ideal é usá-lo umedecido somente nas curvas externas das orelhas.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria e jornal O Tempo.

Posts Relacionados

Inscreva-se