Planeje a volta para casa

Táxi, motorista particular ou rodízio de amigos. Tudo para ter um retorno seguro e garantir boas recordações no dia seguinte

A noite promete ser boa. Você vai a uma festa encontrar os amigos, dançar e talvez, quem sabe, até conhecer alguém especial. O consumo de bebidas alcoólicas também está em seus planos. Se for com moderação, sem problema, não fosse o fato de que é determinantemente proibido por lei dirigir após consumir qualquer dose. A solução para voltar para casa? Planeje antes mesmo de sair dela. Confira algumas dicas.

Motorista à disposição

É isso que faz a empresária artística Maria Julia Fernandes, 32 anos, que tem um motorista particular acionado para levá-la e buscá-la aos seus compromissos sociais. Foi a Lei Seca que reforçou seu desejo de trocar de hábito. “É cômodo e seguro. Meus amigos estão fazendo o mesmo”, conta. O preço varia de acordo com a distância, mas Maria Julia paga em torno de 80 a 150 reais por chamada. “Dependendo para onde se vá, não é muito mais caro do que um táxi, reforça.

Iniciativas especiais

Se você não se sente seguro em pegar um táxi que fique disponível nos pontos, leve sempre o cartão de uma cooperativa ou de algum profissional que já lhe prestou serviços com eficiência. Mas se não pretende mexer muito no bolso, a solução pode estar ao seu alcance gratuitamente.

Algumas seguradoras de veículos oferecem este tipo de serviço, como é o caso da Sul America Auto. O Motorista Amigo disponibiliza um profissional para conduzir o veículo caso o segurado não esteja em condições de dirigir. Está disponível dentro do plano de Assistência 24 Horas, mas, para acionar o condutor, deve-se respeitar os limites estabelecidos em contrato.

Rodízio de Amigos

A criatividade e o companheirismo também podem ser usados para chegar em casa com segurança. Uma solução muito usada nos Estados Unidos é o que os americanos chamam de “Designated Driver”, ou seja, um amigo da turma é selecionado para dirigir naquela noite e, portanto, não pode beber. Um rodízio é feito todas as vezes que o grupo tem encontros sociais e pretende consumir bebida alcoólica.

“Fazia isso desde a faculdade, mas agora que me casei revezo com o meu marido. Quando saímos juntos um dos dois não bebe ou então vamos e voltamos de táxi”, diz Lauren Machta, 28 anos, professora de espanhol que mora em San Diego, Califórnia.

Posts Relacionados

Inscreva-se