Saúde do coração rima com moderação

Beber moderadamente não agride o coração. Na contra mão, consumo excessivo continua sendo um mau hábito.

Bebida alcoólica faz bem ou mal ao coração? Para o doutor José Kawazoe Lazzoli, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBMEE, é uma questão de dose, como tudo na medicina. “O consumo moderado não traz malefícios para o coração. Entretanto, o uso excessivo aumenta os níveis de triglicérides no sangue e pode produzir o que denominamos “miocardiopatia alcoólica”, causando dilatação do órgão e consequente um quadro de insuficiência cardíaca”, esclarece o médico.

Pesquisas importantes conduzidas nos últimos anos sugeriram que em todos os tipos de bebidas alcoólicas existem propriedades antioxidantes que melhorariam a função vascular, reduzindo o número de ataques cardíacos e derrames cerebrais entre seus consumidores, como a publicada na prestigiosa revista “Circulation”, com o título “Vinho, Cerveja e Destilados e o Risco de Infarto do Miocárdio: Uma Revisão Sistemática”.

Para o Dr. José Kawazoe Lazzolli esses benefícios trazidos pelo consumo moderado estão associados, em geral, a um aumento do colesterol HDL, o colesterol bom, mas observa: “Esses efeitos benéficos pontuais são produzidos a partir do consumo moderado, mas constante de bebidas alcoólicas, e justamente nesse consumo diário poderá surgir efeitos negativos sobre saúde em geral, principalmente para aqueles que descuidarem de seus limites”.

Adotar hábitos saudáveis como controlar o diabetes, a pressão arterial, os níveis de colesterol e fazer exercício físico são medidas ainda mais importantes na redução do risco de doenças cardiovasculares. O acompanhamento de um especialista para quem já tem algum tipo de cardiopatia é fundamental. Portanto, deixar o consumo para ocasiões especiais, sempre com moderação, ainda é a melhor escolha para manter a saúde em geral e do coração, em particular.

Posts Relacionados

Inscreva-se